02 outubro, 2007

Moinho da Asneira + Vila Nova de Milfontes



Sempre que posso, ou seja, quando os desenhos me correm bem, mostro o caderno em página dupla. O caderno, enquanto objecto estético, é para ser usufruído integralmente. A forma como essas páginas são ocupadas tem tanta importância como aquilo que está representado. As características do suporte, em virtude de este ser dividido em duas partes - as duas páginas – podem ser aproveitadas, ainda que muitas das vezes quase intuitivamente, para criar composições contrastantes.
Caneta e lápis de cor sobre A5.

2 comentários:

Eduardo P.L. disse...

E um não viverá sem o outro. Perfeito.
O Varal, por essas páginas, e outras tantas, resolveu te presentear com um mimo.

Abraços

Anónimo disse...

Uma ruralidade envergonhada. A casa está um miminho.
Galeota